O que importa é vencer no final !!!


l, as vitórias e as perdas ao longo do caminho são de importância secundária. É a vitória final na vida o que importa e essa é a razão de nossa prática budista. Não importa o quão poderoso ou famoso ou privilegiada uma pessoa pode ser, Nitiren Daishonin diz que, do ponto de vista budista é tudo nada mais do que um sonho, um prazer ilusório, a verdadeira felicidade só pode ser alcançado, revelando o estado de Buda dentro de nossa própria vida.

Anúncios

MEU PONTO DE VISTA, MEU PONTO DE REFLEXÃO! MATÉRIAS PARA A PROPAGAÇÃO (POR FAVOR, ANALISE ESSES ARGUMENTOS E DEIXE UM COMENTÁRIO )



Meu nome é Ricardo Nanao Kumasaka, num tempo muito distante fiz um juramento de propagar a verdadeira lei para a felicidade da Humanidade. Temendo não poder cumprir dignamente minha missão nessa conturbada Era de Mappo, e observando que muitas pessoas caminham sem direção, muitas vezes iludidas por ensinos duvidosos, resolvi compartilhar meus conhecimentos, com o forte desejo de refutar as mentiras e revelar a verdade. Espero poder contribuir de alguma forma para que todos possam cumprir a sua missão.

Nosso mestre Daisaku Ikeda, disse certa vez em um poema: “Eu como você, tenho minha missão, ninguém senão eu pode levá-la a plena realização” (Poema Ode a Juventude). Eu realmente acredito nisso. Tenho um forte e sincero desejo de poder deixar uma pequena contribuição para ajudar no esclarecimento dos membros e convidados. Quero de alguma forma, poder corresponder aos anseios de meu mestre. Com ele, aprendi e aprendo milhares de coisas, sendo que uma delas, é que o homem não deve aceitar que coloquem um “cabresto” em sua cabeça. Ele deve ter o direito de questionar e buscar a verdade sem o medo de estar cometendo qualquer tipo de pecado. A matéria que passo a apresentar, foi baseada em diversas pesquisas e diálogos verídicos., e só fora possível, porque me dei o direito de questionar e buscar respostas.

PREFÁCIO

A Humanidade caminha e sempre caminhou em busca da felicidade. Para uns a felicidade é financeira, para outros é superar uma grave doença, um problema de desarmonia… em fim a Humanidade está em busca de uma resposta, de uma solução para suas aflições. Nesse processo de busca, fragilizados com seus sofrimentos, tornam-se presas fáceis para algumas pessoas espertas e aproveitadoras, que descobriram uma maneira fácil de ganhar dinheiro sem a necessidade de ter muito estudo, bastando ter o conhecimento religioso e o poder da oratória. Sabiamente, trabalham em cima da inocência, do medo, do desespero, da busca do perdão e etc… desta maneira, através do poder da oratória e fazendo o uso de palavras de forte impacto (Castigo, punição, inferno, pecado, pecador, perdão, céu e etc) induzem seus fieis a fazerem doações, negociando a suposta compra da felicidade ou quem sabe, de um pedacinho do céu. A grande verdade é que nunca se ouviu falar de um morto que retornou dizendo: “Puxa, como é lindo o pedacinho do céu que eu comprei!!!! Olha, quando você morrer, dá uma passadinha por lá pra gente colocar a fofoca em dia!.”

É muito fácil dizer “Deus quis assim” ou que “isso é um mistério de Deus”, ou ainda prometer felicidade só após a morte, para todas as vezes que não se encontra uma resposta plausível e aceitável para o problema., difícil e ter coragem e bom senso para encarar uma nova e dura realidade. O Budismo de Nitiren Daishonin, fielmente representado pela BSGI, tem um sério compromisso de responder a todas as questões de forma clara e realista, sem a necessidade de utilizar argumentos infantis que parecem querer zombar da nossa inteligência. A organização BSGI visa propagar o budismo de Nitiren Daishonin, para alcançarmos a Paz Mundial, através da criação de uma sociedade verdadeiramente humanística e feliz. Ela oferece a oportunidade de trilharmos um novo caminho, de reescrevermos a nossa história, de escolhermos se queremos continuar sendo uma marionete do destino ou se assumimos o compromisso de reescrevermos a nossa historia. A decisão está em nossas mãos.

MAS AFINAL, DEUS É UM SÓ? E SE ACASO EU ACEITAR O BUDISMO NÃO ESTARIA PECANDO CONTRA DEUS?


Para entendermos esse ponto acredito que podemos dividi-lo em três pontos de vistas diferentes: como um “Ser supremo”, como uma “Força suprema” e como uma “Lei suprema”.Em todos eles, refere-se a alguém ou a algo de enorme poder e sabedoria e chegaríamos erradamente à conclusão que existe mais de um Deus. Mas se eliminarmos todas as fantasias, exageros e fanatismo observaremos que muitos tentam falar que “Deus” é a própria “Lei” ou em outras palavras, acabarão percebendo que estarão tentando falar de uma mesma “Lei mística” que rege toda a natureza ou todo o universo. Essa “Lei” sincroniza e coordena todas as demais leis que existem na natureza tais como: A lei da gravidade, velocidade, calor, sabor, aroma, resistência, da vida e etc… O Buda Nitiren Daishonin revelou essa Lei mística como Nam-myoho-rengue-kyo. Desta forma, tenha a firme convicção de que não estará pecando contra Deus, mas sim, conhecendo-o e chamando-o pelo nome correto. Se mesmo assim ainda houver dúvida, então tente recitar essa oração com seriedade, pela solução do seu problema. Após algum tempo irá perceber que realmente chamou Deus pelo nome correto, pois com certeza encontrará respostas para o seu problema. O budismo é causa e efeito, desta forma a solução para o seu problema virá na mesma proporção do seu esforço.

DEUS NO FORMATO DE HOMEM ?



A grande verdade é que o Homem está muito longe de ser o símbolo da perfeição, e se ele tiver o formato de Homem, deixará de ser perfeito. Por exemplo, para que um ser perfeito como Deus, necessitaria de tais coisas como: cabelos, dentes, unhas, órgãos genitais e etc ? todas essas coisas são supérfluas para um ser perfeito.

O Homem primitivo acreditava em algo superior, e desta forma muitos deles cultuavam o sol, a lua, as estrelas, os relâmpagos, trovões, animais e outros. Com o passar dos tempos muitos também passaram a cultuar animais com o formato de Homem ou de Mulher, e outros, as divindades com a forma de mulheres ou de Homens. Cada um deles representavam um símbolo de poder. Pouco a pouco a idéia de divindades com o formato de homem passariam a representar melhor a idéia de um ser supremo, pois na época, a mulher era o simbolo do sexo frágil e lembrava fraqueza, submissão e escravidão., Desta forma, pelo conceito machista da época, a imagem do Deus mulher fora descartada. O Deus homem ganharia um destaque ainda maior com a ascensão do Cristianismo.
Na minha opinião, se Deus tivesse que ter um sexo, sem sombra de duvidas, seria a de uma mulher e não a de um homem., Afinal, somente ela possui o dom de gerar uma nova vida, o dom de amamentar, a missão de proteger e educar. Essas funções, no meu ponto de vista, torna a mulher muito mais parecida com Deus do que qualquer Homem.
É complicado acreditar que um ser perfeito como Deus teria feito o homem a sua imagem e semelhança, pois se isso fosse verdade, Adão teria vindo com defeito de fabricação, pois além de não herdar o poder e a inteligência de seu pai, ainda por cima veio teimoso, pois desrespeitou a ordem de não morder a maçã.

DEUS NA FORMA DE UMA “LEI” QUE REGE TODO O UNIVERSO


Neste budismo, não utilizamos a palavra “Deus” para definirmos algo supremo, e nem tão pouco, conferimos a ele a imagem de um homem. Neste budismo, essa Lei suprema (Lei mística) está “representada” em um pergaminho conhecido como “Gohonzon” e ativamos essa Lei quando recitamos o “Nam-myoho-rengue-kyo” a esse Gohonzon. O Gohonzon é o elo que faz com que o nosso micro-cosmo (Nosso estado de Buda), funda-se com o macro-cosmo (Estado de Buda inerente ao universo). Quando conseguimos fazer essa fusão, a nossa vida passa a sincronizar com o ritmo do universo, fazendo com que adquiramos sabedoria e boa sorte para superarmos os nossos problemas.
O “Gohonzon” é um pergaminho deixado pelo Buda Nitiren Daishonin para que todos sem exceção também pudessem atingir o mesmo estado de vida que ele atingiu “estado de Buda”. Para isso, revelou também a oração Nam-myoho-rengue-kyo que faz com que o nosso estado de Buda funda-se com o estado de Buda contida no Gohonzon. O Gohonzon representa a essência de toda a vida do universo.
Nesse Budismo é ensinado que a vitória sobre seus problemas não depende da ajuda de uma força externa (espíritos, santos ou mesmo Deus), mas sim… quando aprendemos a ativar através da oração e da fé, o estado de Buda que existe dentro de nos.
O Buda Nitiren Daishonin veio na forma de mortal comum, revelar o verdadeiro caminho para a iluminação. Desta forma, revelou o Nam-myoho-rengue-kyo e também inscreveu o Dai-Gohonzon. Deixou também várias cartas (goshos) escritas de próprio punho para seus discípulos, sendo que muitas delas são utilizadas até hoje como uma preciosa fonte de orientação e incentivos, além de retratar fatos históricos referente à época.

DIZEM QUE AS RELIGIÕES SÃO TODAS IGUAIS

Muitas religiões são idênticas apesar de possuírem nomes diferentes, outras possuem pequenas diferenças e há aquelas que realmente são diferentes.
Existem religiões que procuram pregar somente o bem; existem religiões que se confundem entre o bem e o mal; e há aquelas que realmente pregam o mal.
Muitas religiões pregam resultados após a morte ou pregam o conformismo no estilo: Deus quis assim; Isso é mistério de Deus; Você tem que se conformar, pois isso é o seu carma… etc. A grande verdade, e que algumas pessoas montam uma “igreja” com o intuito de obter uma fonte de renda para seu sustento, sendo que em suas pregações costumam dar um destaque maior (direta ou indiretamente) para as doações do que aos problemas que seus adeptos possam estar passando. E como forma de atrair mais pessoas, apelam para encenações teatrais de falsos doentes, aleijados, ou possuído por demônios, e essas pessoas se “curam milagrosamente” diante do poder de uma pessoa “superiora”.
Muitas religiões necessitam de uma pessoa “superiora ou especial” para intermediar o contato entre os adeptos e Deus. No Budismo de Nitiren Daishonin, representado pela BSGI, não existe essa discriminação, pois perante a “Lei mística” todos têm o mesmo valor, sendo que ninguém é melhor que o outro.


POR QUE NÃO ACREDITAMOS NA BÍBLIA?

01 – Um verdadeiro budista segue somente os ensinos do Buda, e jamais utiliza outras crenças, (simpatias, talismãs, horóscopo, feitiçaria, orações ou ensinos religiosos diferentes ao Budismo) como forma de complementar seus ensinos., Pois sabemos que isso seria um ato de calúnia.
02 – Não foi escrito por Deus e nem ao menos por Cristo, mas sim por Apóstolos.
03 – As escrituras originais pertencem ao velho testamento, sendo que o novo testamento sofreu uma “modernização” visando mascarar pontos falhos do velho testamento. Ex: Que o mundo era plano e não redondo, que o sol a lua e as estrelas giravam em torno da terra e etc..
04 – Essa “modernização” fora realizada pela igreja católica e não pelos apóstolos.
05 – Diz o velho ditado: “Quem conta um conto, aumenta um ponto”. Como naquela época não havia gravadores, filmadoras ou qualquer outro recurso, as pessoas que registraram os fatos da bíblia, sempre acabavam colocando um pouco do seu ponto de vista, talvez até exagerando em suas interpretações.
06 – Apesar de muitos afirmarem que a bíblia é o livro da “vida”, no passado, no tempo da Inquisição, ela era vista como o livro da “morte”, pois muitas pessoas foram condenadas a morrerem queimadas, por contrariar essa escritura.
07 – Um verdadeiro livro da “Vida”, não pode conduzir ninguém a morte.
08 – No tempo em que a bíblia era vista como verdade única, houve um atraso muito grande., e se hoje encontramos um mundo muito mais avançado deve-se muito à aquelas pessoas que não aceitaram a bíblia como verdade única.
09 – Diversas religiões utilizam bíblias diferentes, sendo que todas deveriam ser iguais. Quem será que alguém alterou aquilo que eles julgam ser sagrado?
10 – A parte referente a “Gênesis”, por mais bonito que possa parecer, foge muito da realidade e da lógica, parecendo querer zombar da nossa capacidade de raciocínio.
11 – O Padre Cesar Mariano Kumagawa, afirmou por diversas vezes em um antigo programa do Elí Correia (+- em 1980), que Adão e Eva nunca existiram, e que eles eram apenas personagem para ensinar a fé. Segundo ele, na passagem onde é citado que Adão veio do barro, tem o seguinte significado: O Homem depende desta terra e dela ele tirará seu sustento. Na passagem onde é citado que Eva veio da costela de Adão, tem o seguinte significado: A mulher depende do homem, assim como o homem depende da mulher e assim ambos se completam.
12 – Segundo os escritos, Cain matou Abel., e por ter cometido tal crime, fora expulso daquela localidade. Desta forma, permaneceu neste mesmo local apenas Adão e Eva. Numa outra parte da bíblia, Cain retorna trazendo um monte de filhos. A pergunta é: com quem ele se casou se a única mulher era Eva, sua mãe???? (Espero que não tentem justificar com argumentos que não constam na bíblia!)
13 – Consta na bíblia que Cristo teria morrido na Cruz para salvar a humanidade de seus pecados. Mas… alguem já parou para pensar que pecados foram eliminados?? alterou alguma coisa em nossas vidas??? Convido a todos a retirarem o “cabresto” e se darem o direito de questionar.
14 – Muitos acreditam que Deus irá perdoá-las pelos seus pecados., se eu fosse elas , não acreditaria muito nisso. Por exemplo: A punição de Adão e Eva foram pelo fato de terem mordido uma maçã., Deus enviou o dilúvio que matou milhares de filhos e animais. Prestaram atenção? Todas elas foram punidas severamente, sendo que a maioria fora com a morte por cometerem erros insignificantes (Talvez menores que muito de nós) Muitos desses filhos “pecadores” não foram perdoados, mas sim punidos com a morte, por um Deus irado. (Você seria capaz de matar seu filho pelo simples fato de ele ter cometido algo errado?)
15 – Quando Moises retornou do Monte Sinai trazendo os “dez mandamentos”, percebeu que o grupo havia se dividido, sendo que um passou a adotar como símbolo religioso a imagem de um animal, enquanto o outro continuou fiel a Moises. Irado com o desrespeito para com Deus, ordenou a seus fiéis que matassem seus rivais, contrariando o mandamento de “não matarás.”
16 – O budismo de Nitiren Daishonin nunca incentivou seus adeptos a matar ou agir com violência em nome da fé. A verdadeira força de uma religião pode ser avaliada na capacidade de pacificar e no respeito que se da a vida.
17 – O Buda Nitiren Daishonin, afirmou que o maior tesouro que existe no universo é a vida.
18- Existem religiões que fazem hoje (matar em nome da fé) o mesmo que os seguidores do velho testamento faziam no passado.
19 – Alguns pesquisadores afirmam que Cristo teria andado pela Índia, Tibet e China, dos 15 aos 30 anos, onde teria estudado budismo, vindo também a conhecer técnicas de meditação.
20 – Na parte da bíblia que cita o “Levítico”, faz referencia a sacrifício de animais, como forma de compensar os pecados do homem. Desculpem minha ignorância, mas não consigo entender como Deus podia aceitar que fosse oferecida a ele a morte sangrenta de um animal inocente para compensar os erros de um ser humano. Acho essas atitudes grosseiras, cruéis e injustas.

Esses argumentos que levantei, só apareceram porque me dei o direito de questionar, buscando verdades que muitos preferem ignorar. Mais uma vêz convido a todos a olhar tudo de uma forma profunda e verdadeiramente consciente.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CARMA E DESTINO ?


DESTINO – Segundo a biblia, Deus teria escrito ou traçado a vida de todos os seres humanos antes do seu nascimento. É por isso que é utilizada frase do tipo: “Deus quis assim”, “Esse é o destino que Deus reservou para você” e etc…Desta forma, pobreza, riqueza, beleza, família, acontecimentos e etc… foi escolhido por “Deus”, e não há como mudar, pois não se contraria a vontade de Deus.

CARMA – Palavra de origem sânscrito que significa “ação”. No budismo essa ação pode ser dividida em três categorias: Palavra, pensamento e ação. O resultado ou efeito dessas ações positivas ou negativas gera efeitos correspondentes. Se observarmos a vida pelo ponto de vista do carma, entenderemos que somos responsáveis pela nossa felicidade ou infelicidade. Em outras palavras, somos nós que escrevemos o nosso próprio destino.

O BUDISMO TAMBÉM ACREDITA NO CEU E NO INFERNO ?


Não, pois tal hipótese é muito frágil para ser levado a sério. O conceito de Céu e Inferno fora criado para doutrinar as pessoas através do medo, no famoso estilo da “recompensa ou castigo”. “Se você acreditar será recompensado por Deus., mas se duvidar, queimará no inferno”. Naquela época, as pessoas eram mais grosseiras e poucos eram aqueles que tinham um pouco de estudo., desta forma, a única maneira de doutrinar aquelas pessoas era através do medo da punição. Um clássico exemplo foi a época da “Inquisição” onde todos que contrariassem as escrituras sagradas, eram condenados a morrerem queimados vivas no “Fogo da inquisição.” Pelo que tudo indica, a opção de utilizar o “fogo” como arma de tortura seguida de morte, era uma analogia, ao ” fogo do inferno” O que verdadeiramente espanta, é o fato desses religiosos assumirem a posição do tão temível “Diabo” e transformar aquele local no verdadeiro Inferno.
Pela visão budista, o “Céu e o Inferno” não são encontrados em nenhum local específico, mas sim dentro da vida de cada pessoa. Segundo o budismo, o “Inferno” é caracterizado por aquelas situações de grande de desespero, mágoa, vergonha, agonia, dor e etc, enquanto que “Céu” é representado pelo estado de Buda, ou seja, um estado de vida elevado, onde desaparece todos os temores e a pessoa adquire condições de superar qualquer problema.

ALGUMAS PESSOAS DIZEM QUE ORAMOS PARA UM DEUS MORTO

Acho curioso e hilariante essa colocação, uma vez que essas mesmas pessoas nunca viram pessoalmente Deus e nem Cristo, assim como não conseguem provar que eles estão realmente vivos. No budismo oramos para algo muito mais vivo do que se possa imaginar, oramos a uma Lei universal (Lei mistica) que rege todas as demais Leis que existem no universo (na natureza). Podemos dizer em outras palavras que oramos para a própria natureza. Todas as Leis da natureza, conhecida ou não pelo homem, formam uma lei ainda maior, revelada pelo Buda Nitiren Daishonin como “Nam-myoho-rengue-kyo” O Buda, por não ser egoísta, teve a bondade de preocupar-se com a felicidade de todas as pessoas e dessa forma revelou essa oração, Nam-myoho-rengue-kyo, e inscreveu o Dai-Gohonzon para a felicidade de toda a humanidade. O Gohonzon é um pergaminho que incorpora tanto a Lei que rege todo o universo, como também toda a essência da vida do Buda.

DIZEM QUE O BUDISMO É A RELIGIÃO DO “CAPETA”


Pelo tipo do comentário maldoso pode-se perceber o nível de quem fez essa afirmação, pois com certeza, trata-se de alguém que nunca procurou conhecer profundamente o budismo. Esse tipo de pessoa prefere caluniar sem ter o trabalho de pesquisar, pois acredita que esse é o caminho mais fácil para causar descrédito ao budismo. Se quiserem criticar, procurem criticar com base em fatos reais e não em mentiras.
Nos acreditamos em Deus sim, mas não da forma que é pregado em diversas religiões. Como já fora citado anteriormente, não adoramos Deus na forma de um Homem, mas sim como uma força, uma Lei que rege todas as demais leis que existe no universo, conhecida ou não pelo homem.
Acredito que muitos irão insistir que o nome desse ser superior é Deus., Mas os Americanos chamariam de “God”, os Japoneses de “Kami” e por ai vai… Dessa forma, se o nome desse ser superior fosse realmente Deus, ele deveria ser pronunciado da mesma forma em todos os lugares. Neste budismo, em qualquer parte do mundo não haverá diferença na recitação do Nam-myoho-rengue-kyo, da recitação de um sutra conhecido como sutra de Lótus e do nome Gohonzon.
O Buda sempre procurou pregar sobre a importância da vida, e também sobre a causa negativa de quem atenta contra ela.
O budismo é uma filosofia de vida ao mesmo tempo em que também é uma religião., e desta forma, sempre procurou auxiliar as pessoas a saírem de seus sofrimentos, sem jamais utilizar qualquer ritual em louvor a qualquer tipo de demônio. A tradução de “Buda” “é o Iluminado.”, desta forma, o budismo é uma religião que leva a “Luz” onde existe trevas., Sendo assim, como poderia ser chamada de religião do capeta?
Esse budismo é a religião da Causa e do Efeito, ou seja, nada acontece sem ter havido uma causa, um merecimento. Colhemos aquilo que plantamos, por exemplo: Ninguém nasce médico. Para que alguém tenha chegado a essa profissão, ele teve que fazer a “Causa”, ou seja: Estudou muito, teve que deixar muitos momentos de lazer e também perdidas muitas noites de sono. O EFEITO de todas essas CAUSAS, foi ter conseguido se formar em medicina.

A ORIGEM DO HOMEM


Segundo a bíblia, todos os homens são descendentes de Adão e Eva., o budismo aceita a teoria da evolução de alguma linhagem de símios com DNA evolutivo.
A bíblia defende que o homem atual não sofreu alterações desde o tempo de Adão e Eva, ou seja, desde o surgimento do mundo, já que ambos foram criados na mesma semana. O fato é que a ciência não concorda com tal afirmação, uma vez que nunca fora achado fóssil com a característica do Homem atual, assim como também fora provado que o planeta terra tem aproximadamente 4,5 bilhões de anos, sendo que o homem não chega a 6 milhões de anos. É interessante observar que os dinossauros reinaram absolutos por mais de 160 milhões de anos, sendo que a bíblia não faz qualquer menção sobre a existência dos mesmos. Aliás, muitas religiões demoraram a aceitar que um dia a terra foi povoado por dinossauros, pelo simples fato da bíblia não fazer menção sobre os mesmos. Hoje, algumas delas, falam sobre a existência dos dinossauros com naturalidade como se nunca tivessem negado sua existência. Fato semelhante aconteceu com aquela história de que o ano 2000 seria o ano do Juízo Final (Mas que papelão!!!) Hoje todas essas religiões agem como se nunca tivessem dito tal coisa.
Se o Homem atual fosse descendente de Adão e Eva, com certeza, não haveria tantas diferenças de um para o outro tais como: Cor da pele e dos olhos, porte físico, tipos de cabelos e etc… Se alguém quiser explicar a origem dessa diferença pela historinha da Torre de Babel, é o mesmo que acreditar que todas as pessoas são tolas, desprovidas de cultura e capacidade de raciocínio.